quinta-feira, 23 de julho de 2009

Inconsoláveis

A minha mãe e a minha tia estão inconsoláveis.
O solar brasonado dos meus bisavós, referido no livro “As mais belas vilas e aldeias de Portugal”, onde nasceu e viveu a minha avó materna é em Aguiar da Beira. Era a chamada “casa do fundo de Vila”. Foi nessa terra que a minha mãe e a minha tia nasceram e cresceram.

Aguiar da Beira é uma terra da Beira Alta que se pode orgulhar de possuir três monumentos nacionais num pequeno espaço: o Pelourinho manuelino, a Torre do Relógio e a tribuna do antigo senado municipal. Tirando o solar dos meus bisavós, nada na terra é hoje bonito.

Lá morava também um casal humilde e com enormes qualidades morais. Era o Sr. Albano caiador (assim o tratavam) que tinha uma lojinha de tudo e onde também era tanoeiro. O Sr. Albano e a mulher tinham um filho de nome Manuel Joaquim Dias Loureiro.

A minha mãe e a minha tia lamentam-se: “Coitadinhos do Sr. Albano e da mulher. Oxalá já tenham morrido que eles não aguentavam a vergonha de terem cá deixado um filho assim.” Dias Loureiro pouco deve ter herdado dos pais. Foi presidente da Assembleia Municipal de Aguiar da Beira entre 1997 e 2005, teve cargos no Governo e foi Conselheiro de Estado. Não me parece que esses cargos tenham feito dele milionário. Mas o que é facto é que chegou a declarar rendimentos superiores a Belmiro de Azevedo. Quis comprar (e insistiu) o solar dos meus bisavós que uma das primas direitas da minha mãe restaurou.

Aqui há uns bons anos, já Dias Loureiro era “cão grande” a minha mãe foi ao Hospital de Viseu porque tinha sido internada a caseira. Veio uma Senhora cumprimentá-la e disse-lhe: “Sra. Dra. Já não se lembra de mim. Eu fui criada sua mãe.” Esta Senhora simples era a mãe do arrogante Dias Loureiro.Por que enriquecem todos os políticos de hoje?

Eu já era casada e mãe de duas filhas e meia quando se deu o 25 de Abril. Vivi o chamado fascismo durante vinte e tal anos. Salazar nasceu numa pequena casa em Santa Comba Dão e morreu com a mesma casa. Os políticos serviam o país. Hoje servem-se do país. É isto a democracia? Para eles enriquecerem tem que haver os que empobrecem.
O que se passa nos bastidores da política, e nós só conhecemos um milionésimo, é perfeitamente escandaloso e inaceitável e, até hoje, nunca nenhum político foi preso. Por alguma razão eles se esgadanham todos para ir para o poder.

Se pudesse haver uma investigação séria e imparcial a todos os políticos, poucos ficariam em liberdade. Mas os advogados e os juízes também querem estar de bem com o poder.

4 comentários:

Amadeu Faria disse...

Porque enriquecem? Simples...Fazem trabalho sujo. Há quem o não faça por isso tem de ser muiiito bem pago. É preciso estrume para a fina flor do entulho. Oh... e essa é muito dificil de apanhar.
Amadeu

Graça Pimentel disse...

Amadeu
O problema é esse. Não apanhar a fina flor... e a fina flor serve-se e lixa-nos.

Beijo

JOSÉ MODESTO disse...

Boa Noite.
Sobre esse senhor a minha opinião é a seguinte: O dinheiro é poder quando existente em quantidades desproporcionadas...Foi o caso.
Esperemos que a nossa justiça actue (coisa que eu não acredito)

Saudações Marítimas
José Modesto

Graça Pimentel disse...

José Modesto
Como diria o nosso primeiro: Ainda está para nascer o primeiro político, ou ex-político) a ser responsabilizado por alguma coisa neste país.

Um abraço