segunda-feira, 31 de maio de 2010

O que o berço dá, a tumba leva...

...diz o povo que é sábio, ou melhor, era sábio quando criava provérbios que traduziam verdades que ainda hoje o são.

Quando se tratou de reduzir o vencimento dos políticos em apenas 5%, o nosso primeiro disse ser contra gestos simbólicos e mais a favor de resultados. Teve que engolir para arranjar o “arranjinho” com Passos Coelho.

Hoje, dia em que se promulga a lei que permite o casamento entre homossexuais, o nosso primeiro almoçou com representantes de movimentos de gays e lésbicas numa atitude que, segundo ele, é meramente simbólica.
Onde fica a coerência?

O nosso primeiro quis falar com Xico Buarque mas teve necessidade de dizer que este é que queria estar com ele. Quando Xico Buarque se indignou e publicamente disse que o nosso primeiro é que pediu para estar com ele (e trazer autógrafos para a família e amigos), veio um comunicado alegando um “erro de transmissão”.
Onde fica a verdade?


Não há nada a fazer. Facadas na verdade e na coerência são a imagem de marca do nosso primeiro.
A incoerência e a fuga à verdade estão-lhe nos cromossomas.

4 comentários:

Gaivota Maria disse...

Esperemos para ver em que casamento dos gays ele vai ser padrinho ou ...

heretico disse...

beijo
o homem não se enxerga. de facto...

Graça Pimentel disse...

Gaivota Maria
Só temo o dia em que eu farei parte de uma minoria...

Beijo

Graça Pimentel disse...

heretico
Não se enxerga mesmo mas os portugueses também não. Estão bem uns para os outros...
beijo