sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Patético

“Todos os meus assessores usam este computador (Magalhães) porque não precisam de outro.” - palavras de José Sócrates.

Estas palavras lembraram-me um poema de António Gedeão.

Estatística

Quando eu nasci havia em Portugal
(em Portugal continental
e nas ridentes,
verdes e calmas
ilhas adjacentes)
uns seis milhões e umas tantas mil almas.
Assim se lia no meu livrinho de Corografia
de António Eusébio de Morais Soajos.
Hoje, graças aos progressos da Higiene e da Pedagogia,
já somos quase dez milhões de gajos.

2 comentários:

Gaivota Maria disse...

Na TVE, quando cheguei a casa ao final da tarde eu ouvi em directo uma rapariga da América do sul a falar, com um visão clara dos problemas, do que está a ser a nova educação. E acabou por referir-se a uns computadores do Snr. primeiro ministro de Portugal que consederava quase como um momento foclórico. Só à noite me apercebi da oferta dos Magalhães...
Mas que raio de povo somos nós que andámos à trela destes gajos... Que triste figura deu do nosso o país o principal responsável... E aquela dos assessores deles usarem o Magalhães foi a declaração pública do estado em que nós vivemos.
Que tenhas um bom fim de semana. Um beijo de gaivota (animal que apesar de tudo sempre faz menos m....)

Graça Pimentel disse...

gaivota maria
Estas figuras tristes podiam e deviam passar-me ao lado mas é superior às minhas forças. Ver assim tão ridicularizado o meu país no estrangeiro, confesso que me dói. Cá dentro já chega...

beijinho