domingo, 20 de julho de 2008

Assim vai a Matemática

"As negativas da Matemática no exame nacional do 9º ano caíram quase 30 pontos percentuais este ano, face a 2007, segundo dados revelados quinta-feira à noite pelo Ministério da Educação." - foi noticiado.

O Ministério da Educação informou que a «maioria dos alunos alcançou novamente uma classificação positiva na prova de Língua Portuguesa, enquanto na de Matemática «verifica-se a existência de progressos importantes, atribuíveis ao esforço de professores e alunos e a instrumentos de apoio».

Ninguém, em sã consciência, acredita neste milagre. Será os alunos do ano passado eram um desastre e que os deste ano são bons? É evidente que esta diferença não corresponde só a uma melhoria de aprendizagens. Não há possibilidade de, em Educação, analisar resultados de uma qualquer medida de um ano para o outro. Demora anos e anos... Uma legislatura não chega, para mal dos inúmeros ministros que a educação já contabiliza. Essa a maior razão do desastre educativo. Cada um que chega quer "meter o Rossio na Betesga"...

A Sociedade Portuguesa de Matemática considerou hoje que os resultados dos alunos do 9º ano à disciplina "na realidade, são piores" do que revelam as notas do exame nacional, porque as perguntas da prova, "na maioria dos casos, eram demasiado elementares". Por alguma razão uma aluna, na comunicação social lamentava não haver perguntas com algum grau de dificuldade para destacar os melhores alunos.

Numa turma de 7º ano, neste ano lectivo que está a terminar, uma apresentou esta resposta:
Repare-se como a aluna efectua a soma, alinhando oa números pelo primeiro algarismo, e como calcula o dobro, dividindo por dois.
O mais complicado foi explicar à aluna que chegou ao resultado certo por mero acaso. E com esse resultado certo, ainda conseguiu errar a alínea seguinte.

2 comentários:

magpinto@netcabo.pt disse...

A mim supreende-me é a correcção do ponto 3.2. Suponho que as anotações a carmim são a correcção do professor. E vejo que, na resposta (750 m/min), os "750" estão cortados, mas a anotação "m/min" tem o visto de estar certo. Pelo que tenho visto nos critérios de correcção indicados pelo Ministério, esta aluna deve ter obtido para aí metade da pontuação nesta questão!

Na resposta à questão 3.1, não é difícil imaginar o que se passou. Repare-se na questão 3.2; a aluna sabe alinhar perfeitamente os números para somar (1000+500). Logo, o cálculo (soma) na questão 3.1 só é feito assim PORQUE A ALUNA, NÃO SABENDO RESOLVER O PROBLEMA, MAS CONHECENDO O RESULTADO FINAL, TEVE QUE ARRANJAR MODO DE LÁ CHEGAR. E mostrou uma imaginação inexcedível.

Eu passava esta aluna com classificação de brilhante. Não deve servir para trabalhar em nenhum lado. Mas deve dar uma autora de ficção excelente.

Graça Pimentel disse...

magpinto
Esta aluna era minha e fui eu que corrigi o teste. No item 3.1 teve zero e no 3.2 teve um ponto(0,1 valores) porque, particularmente nesta faixa etária, os alunos têm uma enorme dificuldade em perceber que dividindo uma distância em m por um tempo em min obtenho m/min. Daí que haja uma pontuação mínima para a unidade correcta. É evidente que, para quem pouco ou nada sabe, estas migalhas não resolvem nada. É a título de incentivo...
Aliás, se eu tivesse 1 € por cada minuto representado por m em documentos provenientes de pessoas ou instituições que deveriam ser conhecedoras, acabava com os meus PPR.
Se fosse no exame de Matemática do 9º ano, com os critérios do ministério, esta aluna teria tido nesta questão uma boa cotação (ou toda, quem sabe?).

É o sistema educativo que temos...

Beijinho e bos semana