sábado, 26 de julho de 2008

O concelho do nosso primeiro

Diz-se que há um exagerado número de funcionários públicos. Se calhar há. Mas uma coisa é certa. Nenhum funcionário público aparece no seu posto sem mais. Ou concorreu a um concurso e foi admitido (caso dos funcionários públicos de mais baixos salários) ou o pai, o padrinho, o cunhado, o amigo… está no Governo, numa Câmara, numa Instituição e “dão o jeito” de os por lá a ganhar bem. A cunha é a mais sólida Instituição portuguesa e a única que se mantém sempre a funcionar maravilhosamente apesar das mudanças contínuas de equipas governativas.
Assim, os funcionários públicos que existem, existem porque os Governos assim o entenderam. Os mesmos Governos que dizem que o número é exagerado. Mas, há um estudo que os órgãos de comunicação não fazem (porquê?) que é saber desse número imenso de funcionários públicos, quantos trabalham directa ou indirectamente para o Governo.

Há uns tempos fiz um estudo para o concelho de Vizela que pode ver aqui e hoje debrucei-me sobre o concelho onde nasceu o primeiro-ministro - Alijó. Vamos então:
O concelho tem uma área de menos de 300 quilómetros quadrados (equivale a um quadrado com 17 quilómetros de lado), onde existem 49 povoações, e está dividido em 19 freguesias. É verdade. Para 49 povoações há 19 freguesias. Se olharmos para a área, cada freguesia não chega a ter, em média, 16 quilómetros quadrados (equivale a um quadrado com 4 quilómetros de lado). Um presidente de Junta por cada 800 habitantes.

Cada quintal destes custa-nos um edifício para a junta de freguesia, com todas as despesas que um edifício destes acarreta, e os ordenados do presidente da junta e de todos os que com ele trabalham.
Este concelho é um dos 14 que compõem o distrito de Vila Real que tem de área 4300 quilómetros quadrados. Assim sendo, cada concelho deste distrito tem, em média, a área deste. Ao todo há, no distrito de Vila Real, 277 freguesias. Como no Distrito de Vila Real há 218935 habitantes, temos uma média de uma junta de freguesia por cada 790 portuguesas. Nada mau!

Quantos funcionários públicos trabalham, e ganham, em todas as Juntas de Freguesia dos Concelhos em que nosso pequeno País está esquartejado? Adorava saber.

2 comentários:

heretico disse...

Levantas uma questão muito sério e actual - a reorganização administrativa do País.

Mas não esperes que seja o Sócrates a fazê-la...

gostei de conhecer este espaço. muito.

Graça Pimentel disse...

heretico
Obrigada pela tua visita a este meu espaço de desabafos... Não queria misturar estas coisas "feias" com as fotografias do sarrabiscos...
Eu já não espero nada dos políticos. Limito-me a colocar questões e exprimir a minha indignação.

Um beijo amigo